Arquivo da categoria: SHINZENNA

SZA 012 – Liga aqui, Liga acolá, Deuses para todo lugar; Adeus ano velho, Feliz Ano Novo! Mitsuba, saraba da…

Minna-san, konban wa!!! Este post era para ter saído na semana passada (como geralmente tem acontecido…kkk), mas a correria de final de ano não me deixou vir aqui antes… Aí juntei uns assuntos com outros que estavam na iminência de sair, para fazer um post com exatos 6 temas. E enquanto o Hiei está passeando por terras nórdicas (Feliz Ano Novo, oyabun-sama! /o/ ) e eu vou saindo para ver um jogo de basquete do Fogão, eis aqui, finalmente(!), a SHINZENNA ALEATÓRIA 012!

 


Em primeiro lugar, a velha musiquinha “Adeus ano velho, Feliz Ano Novo”, criada em 1951, tida por aí como a música mais cantada nas comemorações de entrada de um novo ano aqui no Brasil, e conhecida de quase todo mundo, toma a seguinte forma aqui no Shinzo:
“Adeus ano velho, Feliz Ano Novo;
Que tudo se realize, no ano que ‘já nasceu’;
‘O máximo de’ dinheiro no bolso;
O plano de saúde venceu…”. (LOL)
E assim damos adeus a 2017, e esperamos que 2018 seja melhor para todos os Fansubs e Fansubbers, para todas as pessoas que compartilham deste hobbie conosco (quem baixa e assiste; quem apenas dá aquela força de alguma forma; assim como quem trabalha para fazer a coisa acontecer, sejam colegas ou amigos de outros Fansubs ou pessoas que colaboram diretamente conosco, mesmo que seja com a tradução de uma plaquinha dentro de um OVA de 1 episódio), e para todo mundo de maneira geral.

 


Uns 15 a 20 dias atrás, enquanto eu soltava aqui a SZA 011, um post também saía no Hacchi Fansub. Não sabia o seu conteúdo e tampouco sobre o fato que novamente entristeceria nosso mundo fansubbístico… Mais um fansubber nos deixou para sempre, e desta vez uma revisora, o que faz a minha tristeza pessoal aumentar um pouco mais, pois era uma colega da mesma função que aqui desempenho no Shinzo…=(
Deem um pulo lá no Hacchi, no link a seguir, e leiam o post do Hijikata. Aliás, parabéns @Hijikata, o post ficou ótimo, uma bela homenagem à sua camarada. Tenho certeza que ela gostou, esteja ela onde estiver. =)
https://hacchifansub.net/2017/12/18/gintama-ep-337/
Como comentei na semana passada com a @Leili (colega da Mitsuba no Himeko Subs), pela foto deixada no post do Hacchi, que tomei a liberdade de postar aqui também para esta pequena homenagem, Mitsuba parecia ser uma menina ainda cheia de vida, novinha novinha… e aí descobri que ela mal chegou aos 20 anos…=(… coitada… lamentavelmente viveu ainda menos do que nosso amigo Cyber_Ryoga…
Um acidente de moto e aquele sorriso bonito, que revisava e nos ajudava a aumentar a qualidade dos animes no Brasil, se foi… Também perdi um camarada num acidente de moto há muito tempo… não foi nada legal, pois ele tinha um potencial enorme, já era militar e tinha mais ou menos a idade da Mitsuba. Meu choque foi tamanho que não consegui ir “vê-lo” uma última vez…
Desejo aqui um especial 2018, de recuperação e reconstrução para a família da Mitsuba, que ela possa descansar em paz, que seu coração continue batendo forte, e que de onde ela estiver possa nos abençoar com seus dons revisores para continuarmos nossos trabalhos fansubbísticos aqui no mundo terreno.

Deixo aqui para a Mitsuba, um pequeno trecho sobre o Revisor, tirado de um certo livro e enviado para mim numa troca de e-mails pelo amigo e também revisor @NIGHTWALKER:
“Nenhum dos meus colegas parece entender porque pareço tão satisfeito, eles resmungam o tempo todo, têm ambições, querem demonstrar seu orgulho e tédio. Um bom revisor não tem ambição, orgulho, nem tédio, um bom revisor é meio parecido com Deus Todo-Poderoso, está no mundo, mas não faz parte dele, é só para os domingos. O domingo é sua noite de folga. Nos domingos ele desce do pedestal e mostra a bunda para os fiéis (…). Nos outros dias ele fica nos gelados pântanos hibernais, um impecável absoluto (…). Neste mundo cotidiano, a única coisa importante é a ortografia e a pontuação, não importa qual seja a calamidade, mas se está escrita direito.”

 

E o tal Mundial de Clubes da FIFA?
No chocho torneio da FIFA de futebol masculino, que reuniu um convidado do país anfitrião (não consigo entender isto…¬¬) e os campeões continentais, deu a lógica na final: o atual campeão da Taça Libertadores da América, o Grêmio, time do nosso amigo @Nightwalker, que não foi até Abu Dhabi para ver os jogos (kkk), contra o atual bicampeão consecutivo da Liga dos Campeões da Europa, o poderoso Real Madrid. Apesar do domínio madrilenho, o jogo foi decidido por um pequeno detalhe com um placar magro de 1 x 0 para os espanhóis (agora bicampeões mundiais consecutivos também), mas jogos assim não permitem erros, e como diriam os mais velhos no mundo do futebol, “a bola pune”, e acabou punindo o Grêmio…

 

Falando em Real Madrid, rolou o sorteio do “mata-mata” da Liga dos Campeões 2017-2018 de futebol masculino, e meu amigo @Césão me mandou e-mail logo depois dizendo: “O PSG é muito azarado”. Isto porque ultimamente, depois que o PSG também passou a montar super-times, sempre que passa pela fase de grupos, nunca pega um time que podemos dizer que o PSG é o favorito no confronto, só pega pedreira logo nas oitavas, e desta vez não foi diferente, pegou de cara justamente o Real Madrid! Vai ser um confronto daqueles que muitos vão dar aquele jeitinho de ouvir ou assistir. Além deste, tivemos outros bons cruzamentos que devem dar excelentes jogos.


Deste sorteio, o que mais não gostei foi o cruzamento entre Manchester City x Basel, pois gostaria de ver o poderoso time do City, que tem o xodó brasileiro Gabriel Jesus, já pegar outro time (no papel) tão forte quanto ele nas oitavas…

 


Fim de ano não deu para fazer muita coisa, então, como já citado no post anterior, o diferencial foi realmente terminar The Strain e assistir a 1ª temporada de “Deuses Estadunidenses” com meus amigos, Mestre PuPunho de Ferro e seu irmão mais novo, entre 16 e 18/12. A série baseada na obra de Neil Gaiman (o cara por trás de SANDMAN), se tornou o nosso tapa-buraco para aquela sessão por conta de alguns fatores, e ter apenas 8 episódios com certeza foi um deles. Mas agora virou fixa, haja vista que ninguém desgostou do que viu, penso eu…
Particularmente eu achei uma boa série, mas nada espetacular a ponto de ter sido tão propagada por um monte de gente por aí e virar modinha por conta disto logo que foi lançada… Uma série muito boa, que por causa do envolvimento direto do Neil Gaiman, deve estar bem adaptada e o mais fiel possível em relação à obra original, mas nada que na minha opinião por enquanto possa se colocar no patamar de Emperor of the Sea(série sul-coreana), Demolidor (até o momento), ou mesmo a recém-finalizada The Strain…
Além disto, no último dia de 2017, comecei a assistir uma série brasileira chamada “O Caçador” (14 episódios), com Cauã Reymond e Aílton Graça, entre outros. Até agora, em 8 epis. já assistidos, muito boa a série. Tem umas coisinhas que eu fico “meio assim assim” e faço questionamentos, mas nada que abale a vontade de continuar a série. =)
E agora, que venha o Justiceiro!! /o/ =D

 


Encerrando o post, falar um pouquinho sobre o filme da Liga da Justiça, que achei bem bom, diferentemente de várias opiniões de “Marvelistas” por aí…
O filme, como já era esperado por mim, não foi excelente, mas foi muito bom diante do que se propôs e diante das minhas expectativas (não criadas) sobre ele, perdendo só um pouquinho no quesito tempo. O filme poderia (e deveria) ter tranquilamente mais uns 15/20 minutos para poder desenrolar melhor algumas coisas, mas o CEO da Warner, de maneira totalmente IMBECIL, IDIOTA e BURRA, quis que o filme tivesse duas horas como limite máximo de tempo de tela. Só um mero executivo faria algo deste tipo, num filme do tamanho de um filme da Liga da Justiça e no contexto atual… Para mim, sem nenhuma explicação do porquê de tal decisão, este CEO é uma zebra!…¬¬  Já aproveito para pedir desculpas às zebras por isto…

 

 

Obrigado por nos acompanharem, assistam nossos projetos, leiam e comentem em nossas colunas. =)

 

E tudo isto…
Porque nem só de animes nós vivemos!
.

SHINZO Fansub, corrigindo SEUS erros através da penetração
e aumentando a qualidade dos animes distribuídos no Brasil!!”

 

Anúncios

SZA 011 – Malcolm Young, Niver do Mestre PuPunho de Ferro(xD), Sorteio da Copa do Mundo, e Botafogo…

Minna-san, konnichi wa! Este post era para ter saído na semana passada, mas fiquei sem tempo em virtude da necessidade de se trabalhar mais do que o horário normal na empresa, a fim de alcançar alguns objetivos esperados pelas diretorias e também gerências dos projetos em andamento. Sendo assim, hoje estou merecidamente de folga, e aproveitando para finalmente trazer a SHINZENNA ALEATÓRIA 011!

 


Começo o post falando de Malcolm Young, um cara um tanto quanto desconhecido para mim, pois não ouvi ainda tanto de AC/DC como já deveria ter ouvido. O líder e criador da banda australiana AC/DC, ao lado irmão Angus Young, se tornou uma lenda do rock, assim como toda a banda, que emplacou diversos hits do gênero, sendo algumas de suas músicas mais famosas: Back in Black (pelos riffs mundialmente conhecidos criados por Malcolm), Highway to Hell, You Shook Me All Night Long e T.N.T..
Malcolm Young morreu há exatamente 1 mês, em 18/11/2017, deixando um legado absurdo para o mundo da música e do rock. Sabidamente, seria uma perda inestimável para o mundo do rock mais especificamente, que perde um de seus membros do Hall da Fama. O compositor e extraordinário guitarrista sofria de demência já havia alguns anos, tendo se afastado do AC/DC em 2014. Que ele continue a fazer boas composições lá do outro lado. Vá e descanse em paz, “Mal”!

 

E o Botafogo?…
Eu não gostaria de falar muito sobre o que aconteceu no fim de ano do meu time, mas tenho que dar uma pincelada rápida aqui, afinal nem tudo são flores nesta vida… Então, venho apenas citar que depois de um ano (até outubro) muito bom, o Botafogo foi melancólico nas últimas partidas do ano, se privando de novamente disputar a Libertadores do ano que vem, não conseguindo a tão almejada (pelo clube e torcedores) vaga no torneio pelo 2º ano consecutivo. Agora é esperar o ano que vem… e se contentar com a disputa da Copa Sul-Americana 2018.
O time que até então vinha jogando muito bem em seus domínios, começou a fazer partidas sofríveis e melancólicas, e de 12 pontos em casa, conseguiu apenas 1, jogando fora um ano muito bom até então no Campeonato Brasileiro Masculino de Futebol. E por isto, sim, infelizmente foi merecido que o time tenha ficado de fora da Libertadores 2018. Sorte à Chapecoense, que mesmo diante do acontecido no ano passado e de toda a dificuldade de 2017, conseguiu nos últimos minutos uma vaga para a fase “pré-grupos”. “Vamos vamos Chape!”

 

Em meio ao final do campeonato supracitado, tivemos o Sorteio da Copa do Mundo de Futebol Masculino, que ocorrerá no meio do ano que vem na Rússia.
O sorteio foi interessante para o Brasil, que NA TEORIA, deve sair em primeiro do grupo rumo ao “mata-mata”, mas ficou uma preocupação na projeção para as oitavas-de-final: a Alemanha. É claro e sabido que ninguém quer pegar a Alemanha numa fase como esta, com o risco de sair “prematuramente” da Copa, ainda mais se for uma outra seleção forte ou de tradição futebolística, ou do mesmo calibre como é a nossa. São 9 títulos mundiais, é muita coisa em jogo… O esperado é que ambas as seleções saiam como líderes de seus grupos e só se enfrentem numa possível final. Mas, imaginando que ambas se classifiquem às oitavas-de-final, se ambas saírem, uma como 1ª e a outra como 2ª colocada de seus respectivos grupos, Brasil e Alemanha se enfrentariam logo nas oitavas-de-final. Nenhuma das seleções quer este panorama, logicamente.


Mas, deixando esta preocupação de lado, assim como os sorteios de campeonatos e torneios mundo afora atualmente (em especial europeus e sul-americanos), acho que tem umas regrinhas muito chatas nos sorteios que não os deixam tão mais emocionantes como poderiam ser ou como já foram em outrora. Dizem que é para equilibrar as forças, mas quem é razoavelmente entendido de futebol, sabe que os sorteios (direcionados) servem apenas para facilitar as grandes seleções e clubes mais bem ranqueados a passarem de fase e estarem nas finais dos torneios, assim jogando inicialmente contra equipes que no papel são mais fracas. Alguns dão mais sorte que outros. O futebol (e a Costa Rica, como último notável exemplo) está aí para provar que o sorteio não decide tudo, decide apenas confrontos, e que no campo são 11 contra 11, mas acho estes sorteios todos muito injustos. Sorteios deveriam ser como Bingos, o número que sair é aquele e ponto e acabou. Não entendo porque a Europa com um monte de vagas, enquanto a África tem apenas 5, não pode ter 3 seleções no mesmo grupo, mas enfim… vamos em frente! o/

 

Aproveitando a folga de hoje, estou desde sábado na casa de 2 amigos num município um tanto quanto distante da capital fluminense, mas que de ônibus se chega em menos de duas horas, onde mora o “Mestre PuPunho de Ferro” (kkkkk), que não sabia de seu novo apelido até o momento (ou será que sabia? xD)… @Mestre PuPunho, agradeça ao Lucas por mais esta, os créditos dele aumentaram de novo, né? hahaha
“Mestre PuPunho de Ferro” fez niver no recente dia 12/12, e mais uma vez deixo aqui meus parabéns! Que sua vida seja regada de muita coisa boa (várias delas que não posso falar aqui, pois o horário não permite…kkkkk)!
Bem, além de dar os parabéns pessoalmente ao “Mestre PuPunho”, combinamos de assistir algumas coisinhas (séries, enquanto os animes curtos não voltam à minha agenda…). A 4ª e última temporada do “Stranhão” foi rapidamente assistida em 2 dias, e discussões a respeito do final (do que foi e do que poderia ter sido) foram muito interessantes. O final me decepcionou um pouquinho, mas nada que não superasse a nota 8 (mínima) que a série carregava desde o início. Comentei com o “Mestre PuPunho” que acho que o Guillermo Del Toro andou assistindo muito anime, porque não soube fazer um final à altura da série (que poderia ter sido bem melhor e muito mais épico), igualzinho acontece em vááááários animes que temos por aí… rsrs
E ainda ontem começamos “Deuses Estadunidenses”, e acabaremos hoje( /o/ ), se o irmão do Mestre PuPunho chegar a tempo de um trabalho de campo da faculdade… mas isto é assunto para outra Shinzenna…


Quem puder, assista esta série! E isto serve para você também, @Oyabun-sama! rsrs  Lembra daquela nossa conversa há algum tempo sobre Prison Break, Supernatural e outras séries? Mais uma vez te recomendo esta aqui, para quando você tiver um tempinho, logicamente…=)
Diante do costumeiro tamanho de séries estadunidenses, são apenas 46 episódios, fechada e finalizada, e só por isto já acho que vale muito a pena. Até o momento, virou uma das 5 melhores séries que já vi (incompleta e/ou finalizada). Quando apresentei a série ao meu amigo Lucas, ele ficou “xonadinho” e terminou-a antes de mim e dos meus amigos aqui, né @Rukasu-kun?…rs
Como diria a galera do TecSubs: “Lá vem o Stranhão… cheio de linguão… Vai te pegar, vai te pegar, vai te pegar…” kkkkkkkkkkkkk

 

 

Obrigado por nos acompanharem, assistam nossos projetos, leiam e comentem em nossas colunas. =)

 

E tudo isto…
Porque nem só de animes nós vivemos!
.

SHINZO Fansub, corrigindo SEUS erros através da penetração
e aumentando a qualidade dos animes distribuídos no Brasil!!”

 

SZA 010 – (RE)Apresento a vocês o “Meu Cantinho”…=D

Minna-san, genki desu ka. Konnichi wa, watashi wa Sennaffogo desu, yoroshiku onegaishimasu! =D 

 

A la Goku, “Oi, eu sou o Senna!” xD
Claro que todo mundo que frequenta minimamente o Shinzo já deve me conhecer pelos posts dos nossos lançamentos e pela Shinzenna Aleatória, já são 3 anos e meio de fansub e 2 e meio de postagens por aqui.
Bem, lá atrás quando eu nem pensava em ser Revisor do Shinzo, minha função primária no Silex Fansub é/era/seria a de Colunista do site. Foi com esta função que entrei para o grupo e posteriormente acabei virando QC Oficial do fansub, tudo por boa vontade em ajudar, acaso e destino, assim penso eu. De lá para cá, acabei saindo de lá e me reuni aqui com o chatonildo, inteligente e gênio vagal do Hiei, numa parceria que está dando certo e quero ratificar isto post a post, anime a anime, ano a ano.

A ideia da coluna lá no Silex era fazer uma espécie de resenha um pouco mais parecida como as que vemos normalmente por aí (com imagens e tal), de determinados animes/mangás aprovados (importante ressaltar isto, pois havia um filtro entre eu e o Jean, o ADM de lá à época que me recrutou) que eu já havia assistido/lido, de maneira um pouco mais arrumadinha do que eu estava acostumado a fazer nas minhas “críticas-opinativas”, incluindo detalhes mais técnicos da obra e algumas outras coisinhas, mas ainda mantendo a estrutura básica do que sempre fiz nas minhas “críticas-opinativas”, uma resenha “livre, leve e solta” por assim dizer, sem se apegar a padrões, mas que fosse interessante de se ver e ler. Acho que na (infelizmente) única resenha que saiu o objetivo foi alcançado, e é por isto que agora (com o total apoio e aprovação do Hiei) eu volto com esta coluna aqui no Shinzo, para fazer bem mais do que apenas 1 post. A única mudança na coluna será com relação ao filtro, que agora será um pouquinho menos restrito, e de acordo com meus próprios parâmetros e vontade.

Alguns que acompanham minha vida fansubbística desde o Silex já conhecem a coluna, mas para quem não conhece, venho através da SHINZENNA ALEATÓRIA 010 apresentá-la e falar um pouco mais sobre ela.
Em primeiro lugar, gostaria de deixar aqui o nome da coluna, que basicamente expressava tudo que eu gostaria de fazer, caso realmente tivesse uma coluna num site: “CANTINHO DO SENNA“. O nome vingou, é bom e não há porque mudar.
Em segundo lugar, se tudo der certo, o Hiei fará algumas participações especiais na nova coluna.
E em terceiro lugar, espero comentários e feedback de vocês, quem puder comentar na resenha de um anime/mangá que já assistiu/leu que por acaso venha a aparecer na coluna, será importante para nós e muito bem-vindo. o/

A maioria das críticas, a princípio, devem tratar de animes, sejam Séries, Filmes, Especiais e OVAs/ONAs, porque apesar de eu não ter visto muitos animes na vida, li muito menos mangás do que assisti animes. Acho que em relação a animes, ainda estou no bloco “Um bom número”, tentando alcançar o “Tô bem na foto” (rsrs). E, galera, não sou nenhum crítico profissional de animação, cinema ou coisa parecida. Apenas entendo um pouquinho deste mundo ANIMado(kkkkk) e faço as minhas “críticas-opinativas” a respeito dos Animes que todos (supostamente) gostamos. Coloco minha opinião, mas tento ser imparcial a ponto de pelo menos conseguir analisar um anime tecnicamente sem deixar que meu “gôsto” ou “desgôsto” por ele atrapalhe tal análise. Tanto que um dos animes que mais gosto é Cavaleiros do Zodíaco e tenho absoluta certeza em afirmar que ele não está nem no Top30 dos Melhores Animes que já assisti na vida, e olha que estes não chegaram a 100 títulos ainda…

 

Dito isto acima, o que mais eu gostaria de explicar sobre a coluna é como funcionarão as notas que darei aos animes criticados/resenhados:
Nota Técnica -> análise do anime como um todo, desde a combinação das músicas de abertura e encerramento com seus respectivos vídeos e com o anime em si, passando pela animação e história, e indo até os personagens. Não tenho um padrão específico de análise, pois como eu disse não sou nenhum crítico profissional e nem me sinto nesta obrigação. Um dos objetivos secundários da coluna será de apenas deixar uns parágrafos escritos sobre os animes que eu vi para vocês lerem e talvez se interessarem pelo anime, ou não! Hahaha
Particularmente, não gosto muito de dar notas, mas vou tentar adaptar minhas “recomendações” e/ou “não-recomendações” para a coluna… será difícil fazer isto, e se não der deixarei as “recomendações” e/ou “não-recomendações” mesmo, mas vamos em frente.

Nota Pessoal -> ‘Nota Pessoal’ já diz muito pelo próprio nome né? Particularmente eu não gostaria de colocar isto, mas resolvi fazer a coisa um pouco diferente das “críticas” que estava acostumado. TENTAREI DAR minha nota aos animes pelo meu ‘GÔSTO’ particular em relação aos mesmos, logo, isto também não será uma obrigação da coluna. Acreditem ou não, os animes que eu mais gosto não são os que considero como os melhores que já vi. E vice-versa, apesar de ter uma ou outra exceção atualmente, como Cowboy Bebop por exemplo. Como eu disse anteriormente, um dos meus animes prediletos é Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya), mas CDZ está tecnicamente muito longe dos animes que tenho no meu Top10 Técnico. E para também dar um exemplo inverso, eu não gostei tanto de School Days, assim como muita gente não gostou nadinha, mas ainda assim ele está no meu Top10 Técnico…

Portanto, assim como acabei de dizer implicitamente, tenho 2 Top’s de animes: o Top Técnico, no qual analiso e vejo o anime trabalhado em sua história, animação, trilha sonora e outros aspectos; e o Top “de Gôsto”, no qual simplesmente elenco os animes que mais gostei, independentemente de qualquer outra coisa.

 

Para finalizar, gostaria de pedir que vocês não levassem tanto assim em consideração as NOTAS em si. Como eu disse, não gosto muito de dar notas, acho que fica uma coisa muito sistemática, e neste caso eu não sou tão a favor disto. Peço que levem em maior consideração o texto em si, pois acredito que o foco maior da análise é o texto e não as notas. A recomendação ou não dos animes, até para a crítica de vocês mesmos acerca do texto e do anime em questão, creio que se darão mais nos próprios textos sobre os animes do que nas notas sobre eles.

 

 

Obrigado por nos acompanharem, assistam nossos projetos, leiam e comentem em nossas colunas. =)

 

É isso, ~PYON! =D
.

SHINZO Fansub, corrigindo SEUS erros através da penetração
e aumentando a qualidade dos animes distribuídos no Brasil!!”

SZA 009 – Sobre “Super Campeões” e o Futebol da vida real

Ohayooou! E aí, Shinzonianos que vão a estádios de futebol torcer pelos seus times, assim como eu já fui várias vezes e como tenho ido especialmente em 2017, tudo bem com vocês?!
Fala @Daisuke/@Tony/@Michel, este post é especial para pessoas como vocês! =)
Para o post de hoje, na SHINZENNA ALEATÓRIA 009, tive a ideia de misturar animes e vida real (coisa que farei mais vezes), mais especificamente Super Campeões (ou Captain Tsubasa, como queiram melhor chamar) e Futebol.

 

Quando a SZA foi debatida e posteriormente criada, eu já tinha pensado neste tipo de tema (animes e um esporte específico) para escrever aqui, mas não pensei primariamente num anime e Futebol. Diante da 9ª SHINZENNA, me vi de certa maneira forçado a passar este post na frente de outros do mesmo tópico, haja vista que o número “9” é o padrão dos atacantes chamados de “centroavantes” dos times de futebol, e o centroavante é quem geralmente tem a missão de fazer os GOLS do time. Não que outros jogadores não possam fazer gols também, e estão aí os supostamente 3 melhores jogadores do mundo, Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar, para nos mostrarem exatamente isto. Até mesmo o goleiro pode fazer gols, mas o “centroavante” tem isto como função específica!
Assim, achei interessante tratar de Futebol e “Super Campeões” na SHINZENNA de hoje, a de número “9”. E se o GOL é o clímax em qualquer partida de futebol, vamos começar mostrando alguns bonitos gols.

 

Golaço de David Luiz contra a Colômbia (Copa do Mundo de Futebol Masculino 2014):

 

Gol do Atlético de Madrid (UEFA Champions League Masculino 2017-2018) (aos 2m30s)

 

Basicamente, o que eu gostaria de comentar aqui hoje é o fato de ter ouvido (e provavelmente continuarei ouvindo) por muitos anos que Super Campeões é um anime ruim, porque os jogos são dotados de muito exagero num aspecto geral, que várias jogadas apresentadas são extremamente inviáveis no futebol real, que os personagens tem super poderes, que os gols são absurdos e blá-blá-blá. Ao contrário da grande massa de pessoas que além disto tudo não consegue enxergar pequenas sutilezas que o anime tem em sua história ao redor dos jogos, eu nunca pensei no anime com todo este radicalismo. Sei que o anime tem seus exageros e suas falhas, e talvez não seja o melhor anime de futebol que qualquer um verá ao longo da vida, mas…

 

Golaço de David Luiz contra o Roma (UEFA Champions League Masculino 2017-2018):

 

Zappacosta contra o Qarabag (UEFA Champions League Masculino 2017-2018) (aos 1m07s)
A jogada começa lá no goleiro, e aí… GOLAÇO a la Super Campeões!! xD

 

Recentemente eu me vi, totalmente sem querer, analisando determinados gols do nosso, amado por muitos e odiados por muitos outros, esporte “bretão” da vida real, e assim percebi o que (aparentemente e) inconscientemente eu talvez já soubesse: que Super Campeões não é tããão diferente assim da vida real, que não é tããão exagerado como dizem por aí. A base de muitos lances vistos em Super Campeões realmente acontece na vida real, e consequentemente a base de muitos gols é a mesma (aí o anime incrementa com um pouco de fantasia para dar aquela emoção a mais, o que muitas vezes sempre pareceu desnecessário, verdade seja dita), assim como muitos gols também, além ainda dos sonhos e problemas dos jogadores, as transferências e viagens para outros países, e até mesmo a disputa em campeonatos juvenis/juniores entre seleções.

 

“Prêmio Usain Bolt” para ele! Gol do indonésio Terens Puhiri contra o Mitra Kukar (Liga 1 da Indonésia) (aos 4m20s)
Narrador ficou empolgadaço! Mas também pudera… eu também ficaria…=D

 

 

Prêmio Puskas – vencedores de 2009 a 2015 e finalistas 2016. Obs.: fora os gols que chegaram às semi-finais e finais do Prêmio a cada ano entre 2009 e 2015…=D
Tirando o gol vencedor do prêmio em 2009, que foi o mais, digamos, comum, todos os outros têm sua técnica, sua plástica, sua sorte e são lances de rara felicidade para quem os fez. Pode-se achar que no anime isto acontecia a todo momento, mas assim como na vida real resumimos aos Gols e Melhores Momentos nossas jornadas a assistir futebol de maneira geral, no anime poderíamos dizer que a história resumia o jogo exatamente assim também, a gente só via os melhores momentos…
@Michel, os gols do Altintop(2010) e do Stoch(2012), me lembraram a nossa boa época de FIFA 99 no N64 na sua casa, mais especialmente o “vício-mito”(xD) que você se tornou fazendo golaços naquela bagaça…=D. Bons tempos…! o/

 

Do vídeo abaixo, vejam todos os gols!
E, apesar da atenção especial que eu poderia pedir no gol de Keisuke Honda (o Top15, pois ele tem DOIS gols na lista!), para fazer média com os japas que são nossa fonte de animes e a fonte do “Super Campeões”, gostaria de pedir atenção especial a 10 gols específicos: o de Honda já citado, logicamente, onde o comentarista ficou claramente boquiaberto e chega a falar “Ooohhhhh… Kore wa sugoi (…)”! =D; o de Paulinho(Top13); o de Recoba(Top8); o de Payet(Top7); o de Burow(Top6); o de De Rosario(Top5); o de Geraldão(Top4); o mítico gol de Roberto Carlos contra a França (Top3); o golaço de Nilsson (por tabela por ser o Top2 da lista); e o golaço Top1 finalmente, que para a talvez surpresa de alguns foi o grande VENCEDOR do Prêmio Puskas 2016 citado n’outro vídeo mais acima.
Assistam estes que recomendei com atenção especial e (para quem viu Super Campeões) analisem realmente, friamente, com calma, se o anime é de fato tããão fantasioso assim quando criticam o chute de trivela do Tsubasa, ou o poderoso chute do Tigre de Kojiro, entre alguns outros lances e gols. O anime é fantasioso?? Bastante, e o anime mais próximo da realidade futebolística geral pelo que vi até hoje deve ser o Giant Killing mesmo, mas Super Campeões nem de longe é tão fantasioso assim quanto a maioria das pessoas realmente gosta de criticar destrutivamente. No fim, acho que quem não curte/vive um pouco mais profundamente o futebol, acaba por subestimar o anime como um todo…

 

A pergunta que não quer calar que fica não só aqui para mim, como para todo mundo que já viu o anime é: será que no mangá original, os lances e gols também são (relativamente) parecidos com o que vimos no anime?

 

 

Obrigado por nos acompanharem e assistam nossos projetos. =)

 

E tudo isto…
Porque nem só de animes nós vivemos!
.

SHINZO Fansub, corrigindo SEUS erros através da penetração!”

SZA 008 RIR 2017.3 – Um Rock in Rio inesquecível?? Por mim, digo que sim!! E, lá se vão 2 anos sem nosso querido amigo Cyber_Ryoga…=(

Motto, ohayou minna-san! o/ Encerrando a maratona de posts sobre o RIR 2017, não vejo outra forma de também fazer este post resumindo bastante o que eu gostaria de expressar depois de sobreviver a 4 dias seguidos de festival. Vamos então com mais uma SHINZENNA ALEATÓRIA com os 2 últimos dias e o encerramento do Rock In Rio 2017, além de uma singela e (talvez) repetida, mas justa, homenagem a um saudoso amigo.

 

Continuando a saga do post anterior…
Terceiramente: por incrível que TALVEZ pareça… Guns N’ Roses foi o show mais marcante da 7ª edição do Rock In Rio.
Quartamente: @Ryogão, meu saudoso e querido amigo fansubber, que meu abraço e minha pequena homenagem cheguem até você, onde quer que estejas.

 

Dia 23/09:
TITÃS: excelente show! Abrindo o Palco Mundo no penúltimo dia, Titãs colocou a galera lá em cima com um repertório cheio de músicas boas e que o público adora. Ainda teve espaço para 3 novas canções que eu particularmente gostei.
INCUBUS: assim como a primeira banda estrangeira do dia anterior, eu não conhecia a Incubus e não consegui fazer o dever de casa com tanta banda boa para curtir, mas tal como Alter Bridge, fizeram um bom show também, que só não foi melhor para mim (talvez) por falta de conhecimento de músicas da banda.
THE WHO: com apenas o vocalista e o guitarrista originais da banda e mais de 50 anos depois de seu início, The Who finalmente pisou em solo brasileiro! Diferente do Aerosmith, que já tinha vindo outras vezes ao país, e até que esta ultima turnê fosse anunciada, esperávamos que voltasse num outro momento qualquer, com The Who talvez não tenhamos a mesma sorte. O guitarrista Peter, em meio a toda interação que teve com a galera, disse em alto e bom som que 2018 será um ano sabático para ele, que já tem mais de 50 anos de carreira e 72 anos de idade, ou seja, ele está cansado. É uma lenda viva do rock, e pode ser que depois deste ano sabático, em reunião com seu parceiro e vocalista de banda, Roger, o The Who simplesmente se aposente sem uma nova turnê. Ou seja, depois de fazer um ótimo show com várias músicas de sucesso, incluindo “Who Are You?”, para mim a melhor música deles, e não à toa a música de abertura da série C.S.I. Las Vegas (a série C.S.I. original) em todas as temporadas, quem viu, viu; quem não viu, pode ser que nunca mais veja.
GUNS N’ ROSES: o que falar deste show?!?… Posterguei até ontem para começar a colocar em palavras o que senti depois de inacreditáveis 3h30m. de show!!! Quem pesquisou, talvez soubesse que eles iriam até quase 4:30 da manhã tocando, mas a maioria sequer poderia imaginar algo parecido, por uma série de fatores… O primeiro deles é que como disse o amigo @Shinji_Migeru, “o Axl está doente desde 1992…”, com a questão das drogas e etc.. O segundo é que justamente por causa do 1º fator, não se imagina mais um Axl cantando por tanto tempo assim num show, mesmo que venha de trás das cortinas e se vá para trás delas várias vezes durante o mesmo. O terceiro fator é que a idade sempre pesa e sempre pesará para todos os cantores e suas vozes (por melhores que sejam), e o 1º fator influencia ainda mais neste 3º em se tratando de Axl Rose…
Logo, depois de toda a trajetória de (altos e) baixos do Guns N’ Roses nos últimos 20 anos, foi positiva e historicamente surpreendente ver Axl de um lado para outro correndo pelo palco, indo e voltando, se cansando, trocando de roupa, indo respirar enquanto Slash (e o resto da banda) segurava(m) as pontas, e cantando tudo e mais um pouco do que os fãs gostariam de ouvir. 32 músicas, solos, piano… e mesmo desafinando em alguns trechos de algumas músicas, valeu todo o esforço do Axl para estar ali e fazer um show histórico para quem pode assistir! Um Guns N’ Roses como há muito tempo não se via, com 3 dos 5 membros originais (Axl, Duff e Slash) se reunindo para uma série de shows pelo mundo, resolvendo deixar as brigas e egos um pouco de lado e ganhar dinheiro.
Sabemos das limitações atuais do Axl e não dava de modo algum para exigir mais do que ele fez em relação a cantar… Acho até que ele fez mais do que deveria…
Para muitos críticos musicais, a melhor música do Guns pode ser Welcome to the Jungle, mas para muita gente, para outros críticos e para mim, a melhor é a mais popular mesmo: Sweet Child O’ Mine! A introdução desta música é algo épico que não se pode negar, muita gente conhece o Guns por causa exatamente desta introdução e/ou música. Outros conhecem algo de rock muito por conta dela também. E muitos outros ainda, já a ouviram e a conhecem, mesmo não sabendo de qual artista se trata… Quando ela foi tocada no show, meu amigo @Lucas, assistindo o show de casa, me mandou a seguinte mensagem: “pronto, depois desta acaba”. “Several and several minutes after that”, o SMS era: “Baralho! O.o  Este show só acabará em 2018?!?…O_O”. Ou seja, um show e uma noite inesquecíveis!

 

Dia 24/09:
REPUBLICA: e enfim chegamos ao último dia de festival. Começando com uma banda brasileira, que canta em inglês, assim como Angra e Sepultura. Cheguei apenas alguns minutinhos após o começo do show, que foi bem interessante. Tocando pela 3ª vez consecutiva no Rock In Rio, desta vez num palco maior (o Sunset), o show deles ocorreu justamente antes da apresentação do Sepultura, que por sinal eu não sei porque ainda toca no palco Sunset, quando a produção do evento deveria colocá-los no Palco Mundo. Mas enfim, buscando o cenário norte-americano e europeu, mas com alguma raiz brasileira, a banda faz um som interessante e fez um bom show, incluindo uma violinista chamada Iva Giracca no palco em algumas canções. Como eu não conhecia a banda, me empolguei com o que vi, mas tal como Incubus e Alter Bridge, faltou eu fazer o dever de casa para que (talvez) eu gostasse mais do show…
CAPITAL INICIAL: apesar de já ter cantado no Rock In Rio outras vezes, desta vez algo de especial tomou conta de Dinho Ouro Preto. Ele esteve bastante emocionado durante todo o show, creio eu por causa da quantidade de gente acompanhando e cantando junto as canções do Capital Inicial, além de ser o dia de encerramento do festival. E por isto mesmo, a banda fez um show simplesmente foda! Tal como na noite anterior, se entre outras bandas os Titãs também mostraram o que é rock brasileiro dos bons, o Capital fez a mesmíssima coisa. Cantaram sucessos de Kiko Zambianchi (Primeiros Erros) e Raimundos (Mulher de Fases), além de “Que País é Esse?”, sucesso nacional que mesmo após anos e anos, continua tão atual para nós brasileiros quanto dizer que preciso trabalhar para pagar o aluguel da casa onde me escondo…
Tocaram ainda “Independência, “Veraneio Vascaína”, “Natasha” e encerraram com “À Sua Maneira”. Showzaço!
SEPULTURA: aqui faço apenas um registro e protesto em prol do Sepultura. Após o show do Capital, ficou meio arriscado sair de onde eu estava para ver o show do Sepultura, último show do festival no palco Sunset, e depois voltar rapidamente para pegar um bom lugar para ver o Offspring no Palco Mundo. Sendo assim, não consegui ver o show do Sepultura, que para mim é uma banda que não tem mais porte de palco Sunset… E diante do que foi o penúltimo show da noite, poderiam é ter trocado as atrações e terem colocado Sepultura no Mundo, seria muito melhor!!
THE OFFSPRING: o ícone que representa a banda, acho que “falou” muito por si só aos meus ouvidos desde que saiu o line-up do dia 24/09. Conhecia o The Offspring muito de nome, e no RIR 2013, quando eles tocaram aqui no palco Sunset, eu não tinha poder de fogo ($$) suficiente para sequer pensar em ir a shows, então não tinha me ligado muito no som da banda. Mas como é uma banda de renome mundial e eu já sabia pelo menos disto, pensei: “não é possível que eu não conheça nada deles…!”. Dito e feito. Fazendo o dever de casa, percebi que conhecia mais deles do que imaginava… e sendo assim, o show não pode ter sido outra coisa além de excelente! Tocaram só sucessos, em especial os que a maioria dos brasileiros mais gostam, que são do álbum “Americana”. Começaram com “You’re Gonna Go Far, Kid”, e seguiram com outras como “Come Out and Play” (que tem uma frase ainda muito atual), “(Can’t Get My) Head Around You”, “Want You Bad”, “Hit That”, e a sequência final matadora, com “Gone Away (Piano)”, “Why Don’t You Get a Job?”, “Americana”, “Pretty Fly (For a White Guy)”, “The Kids Aren’t Alright”, finalizando e acalmando a galera com “Self Steem”. Top Top! o/
Thirty Seconds to Mars: alguns podem estar estranhando o fato de não ter foto desta “banda” na imagem acima ou do nome não estar em maiúsculo. Explicarei rapidamente e vocês entenderão também a minha opinião sobre a “banda”…
Foi a única coisa completamente BOSTA que vi em todo o Rock In Rio. Me desculpe se alguém que está lendo isto aqui gosta desta “banda”, mas o Jared Leto, além de presepeiro (de certa maneira até divertido), não canta absolutamente nada na minha opinião, além de não ter feito show algum…¬¬  Fora que as músicas são umas porcarias que nem conseguiram me agradar na parte melódica… Diante de um show tão bom como foi o do The Offspring, não tive outra saída durante o “show” desta “banda” a não ser sentar e ficar esperando a também tão esperada e grande atração da noite, Red Hot. Poderiam ter colocado o Sepultura no Palco Mundo às 21:00, The Offspring às 22:30 e Red Hot encerrando o festival… seria beeeeem melhor…
RED HOT CHILI PEPPERS: não foi um show perfeito, mas a tão esperada nova visita do Red Hot por aqui foi muito comemorada. O fato dos californianos mudarem constantemente seu setlist para os shows, deixa sempre uma incógnita na cabeça dos seus fãs. É claro que algumas músicas são como hinos e não podem ser tiradas, mas a maioria para eles não parecem ter este status. É difícil ouvir música RUIM do Red Hot, e isto faz com que o show seja sempre num nível muito elevado. O som da banda é (talvez) único e bastante característico, além das letras das músicas parecerem ser feitas apenas para eles cantarem, pois o “connected speech” e a licença poética fazem com que seja mais difícil do que o normal aprender a cantar as músicas da banda exatamente como o Anthony canta…rs
Geralmente os shows em geral começam com uma música cantada, mas Red Hot tem começado com uma Intro instrumental de solos, e a partir daí começam os sucessos… como Can’t Stop, Snow, The Zephyr Song, Dark Necessities, Did I Let You Know, Go Robot (que eu não conhecia até horas antes do show), Californication (o hino-mãe da banda), The Power of Equality, Under The Bridge e By The Way. Eles encerraram com um dos hinos da banda, Give It Away, mas aqui antes de encerrar sobre o Rock In Rio e sobre o Red Hot, aproveito para explicar as primeiras palavras lá de cima. Quem toca 18 músicas, toca 20… e achei que eles poderiam encerrar de maneira magistral o evento colocando Scar Tissue e Otherside no setlist, que eu achava que eram 2 hinos da banda, mas pelo visto, não…=(  Mas se não quisessem tocar 20, Sir Psycho Sexy e Goodbye Angels não são mais sucessos aqui que Scar Tissue e Otherside, e mesmo que não quisessem tirar músicas próprias do setlist, para que tocar I Wanna Be Your Dog e They’re Red Hot (que são covers de outros artistas)?? Faltaram duas cerejas no bolo, mas ainda sim foi um showzaço que encerrou muito bem o evento!

 

Aproveito o post para fazer uma pequena homenagem a um amigo nosso que nos deixou há 2 anos. Em 2015, o Altíssimo levou Cyber_Ryoga, nosso querido amigo e colega fansubber do Fansub Liga do Sul para junto dEle. Como eu disse dois anos atrás, ele se foi justamente no dia 15/10, dia do Mestre. Ele, que era um mestre nas brincadeiras e piadas no Liga do Sul… O mundo fansubbístico não é mais o mesmo após esta inestimável perda. Hoje, outros companheiros de luta continuam o seu legado com Detective Conan, o anime “headliner” do Liga do Sul. @Ryogão, aí está nosso DC, ao que parece em boas mãos, fazendo assim com que sua garra e determinação na continuação deste projeto pós-fim do nosso glorioso Saikou Fansub, não tenha sido em vão. Espero que diante do que tem sido feito no GHS Fansub, você esteja orgulhoso. Fique em paz, esteja onde estiver, caríssimo e tão querido e eterno amigo, Cyber Ryoga.
Tal como da outra vez, prefiro não terminar o post de maneira triste, então deixo aqui a foto de Ryoga partindo para sua caminhada final ao encontro das lolis que tanto amava:

 

 

Obrigado por nos acompanharem e assistam nossos projetos. =)

 

E tudo isto…
Porque nem só de animes nós vivemos!
.

SHINZO Fansub, corrigindo SEUS erros através da penetração!”

%d blogueiros gostam disto: